Blog do escritor
Xesús Constela

www.xesusconstela.com

info@xesusconstela.com
 CATEGORÍAS
 CUARTO DOS TRASTES
 SALA PARA VISITAS
 SALA DAS PROCURAS
 SALA DOS BLOGS GALEGOS
 NO FAIADO
 ANTERIORES

De Fernando Pessoa
Por que non un poema de Fernando Pessoa neste fermoso día tan cheo de primavera?

Velaí vai:

Quando vier a Primavera,
Se eu já estiver morto,
As flores florirâo da mesma maneira
E as árvores nâo serâo menos verdes que na Primavera passada.
A realidade nâo precisa de mim.

(...)

Gosto que tudo seja real e que tudo esteja certo;
E gosto porque assim seria, mesmo que eu nâo gostasse.
Por isso, se morrer agora, morro contente,
Porque tudo é real e tudo está certo.

Podem rezar latim sobre o meu caixâo, se quiserem.
Se quiserem, podem dançar e cantar à roda dele.
Nâo tenho preferências para quando já nâo puder ter preferências.
O que for, quando for, é que será o que é.


Que grande Pessoa!

Que grande!

Comentarios (4) - Categoría: De literatura - Publicado o 19-05-2010 21:05
# Ligazón permanente a este artigo
Chuza! Meneame
4 Comentario(s)
1 Este maravilhoso poema de Fernando Pessoa serviu-me de alento para um dia de outono tão cinza, frio e chuvoso.
Particularmente gosto muito de uma frase de Fernando Pessoa:"O valor das coisas n#blgtk08#ão está no tempo em que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis".
Grande mesmo!

Comentario por Solange Couto (19-05-2010 23:02)
2 Encántame Pessoa e as súas ideas sobre a realidade, o que existe, o que somos, simples percepcións... A min tamén me fascina a idea de que todos somos mesturas de elementos, dos moi poucos elementos que existen na Terra, é algo incrible!!
Aquí vos deixo estoutro poema de Pessoa que me encanta:

Dizes-me: tu és mais alguma coisa

Dizes-me: tu és mais alguma coisa
Que uma pedra ou uma planta.
Dizes-me: sentes, pensas e sabes
Que pensas e sentes.
Então as pedras escrevem versos?
Então as plantas têm ideias sobre o mundo?
Sim: há diferença.
Mas não é a diferença que encontras;
Porque o ter consciência não me obriga a ter teorias sobre as coisas:
Só me obriga a ser consciente.
Se sou mais que uma pedra ou uma planta? Não sei.
Sou diferente. Não sei o que é mais ou menos.
Ter consciência é mais que ter cor?
Pod#blgtk08#e ser e pode não ser.
Sei que é diferente apenas.
Ninguém pode provar que é mais que só diferente.
Sei que a pedra é a real, e que a planta existe.
Sei isto porque elas existem.
Sei isto porque os meus sentidos mo mostram.
Sei que sou real também.
Sei isto porque os meus sentidos mo mostram,
Embora com menos clareza que me mostram a pedra e a planta.
Não sei mais nada.
Sim, escrevo versos, e a pedra não escreve versos.
Sim, faço ideias sobre o mundo, e a planta nenhumas.
Mas é que as pedras não são poetas, são pedras;
E as plantas são plantas só, e não pensadores.
Tanto posso dizer que sou superior a elas por isto,
Como que sou inferior.
Mas não digo isso: digo da pedra, «é uma pedra»,
Digo da planta, «é uma planta»,
Digo de mim «sou eu».
E não digo mais nada. Que mais há a dizer?
[5-6-1922]
Comentario por Eva Lozano (20-05-2010 12:32)
3 Todos os textos de Pessoa:
#blgtk08#
http://arquivopessoa.net/
Comentario por Eva Lozano (20-05-2010 12:34)
4 Que ben saben os poetas dicir as cousas máis trascendentes!. Que ben sabe Pesso#blgtk08#a usar as cousas mais sinxelas - unha pedra e unha flor- para facernos pensar!
Comentario por E Carpente (20-05-2010 19:04)
Deixa o teu comentario
Nome:
Mail: (Non aparecerá publicado)
URL: (Debe comezar por http://)
Comentario:
© by Abertal

Warning: Unknown: Your script possibly relies on a session side-effect which existed until PHP 4.2.3. Please be advised that the session extension does not consider global variables as a source of data, unless register_globals is enabled. You can disable this functionality and this warning by setting session.bug_compat_42 or session.bug_compat_warn to off, respectively in Unknown on line 0