Blog do escritor
Xesús Constela

www.xesusconstela.com

info@xesusconstela.com
 CATEGORÍAS
 CUARTO DOS TRASTES
 SALA PARA VISITAS
 SALA DAS PROCURAS
 SALA DOS BLOGS GALEGOS
 NO FAIADO
 ANTERIORES

Leonard Cohen: Take This Waltz
Hoxe marcho para a cidade de Burdeos e déixovos como despedida esta canción de Leonard Cohen titulada Take This Waltz, que é unha adaptación dun fermosísimo poema de Poeta en Nueva York de Federico García Lorca titulado Pequeño vals vienés e que comeza así:

En Viena hay diez muchachas,
un hombro donde solloza la muerte
y un bosque de palomas disecadas.
Hay un fragmento de la mañana
en el museo de la escarcha.
Hay un salón con mil ventanas.
¡Ay, ay, ay, ay!
Toma este vals con la boca cerrada.
Este vals, este vals, este vals, este vals,
de sí, de muerte y de coñac
que moja su cola en el mar.
Te quiero, te quiero, te quiero,
con la butaca y el libro muerto,
por el melancólico pasillo,
en el oscuro desván del lirio,
en nuestra cama de la luna
y en la danza que sueña la tortuga.
¡Ay, ay, ay, ay!
Toma este vals de quebrada cintura.


Comentarios (4) - Categoría: Sala de música - Publicado o 25-01-2011 20:31
# Ligazón permanente a este artigo
Tribalistas: Já sei namorar
Esta canción de Tribalistas (Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown e Marisa Monte) vén a conto do artigo anterior acerca da dor que está a pasar o Brasil.

Se hai algo que me gusta deste vídeo é a alegría que ten a xente toda que aparece nel, o optimismo que destilan.

Quedemos con esa alegría!

Non deixemos que nos arrastre o pesimismo

Já sei namorar
Já sei beijar de língua
Agora, só me resta sonhar
Já sei onde ir
Já sei onde ficar
Agora, só me falta sair

Não tenho paciência
pra televisão
Eu não sou audiência
para a solidão
Eu sou de ninguém
Eu sou de todo mundo
E todo mundo me quer bem
Eu sou de ninguém
Eu sou de todo mundo
E todo mundo é meu também


Comentarios (2) - Categoría: Sala de música - Publicado o 13-01-2011 20:57
# Ligazón permanente a este artigo
Led Zeppelin: Black Dog
No ano 2007 os integrantes do grupo Led Zeppelin reuníronse en Londres, no 02 London Arena, para un concerto en apoio do Ahmet Ertegun Educational Fund, que concede bolsas universitarias nos Estados Unidos, No Reino Unido e en Turquía.

Ahmet Ertegun, por certo, foi o fundador da discográfica Atlantic Records.

Hoxe pensei que Black Dog sería unha boa canción para comezar este ano cheo de ocos para encher. Ademais a versión que vos achego, que pertence a ese concerto do London Arena, paréceme moi boa.

(E a min éncheme a mente de boas lembranzas)

Hey, hey, mama, said the way you move,
Gonna make you sweat, gonna make you groove.


Comentarios (6) - Categoría: Sala de música - Publicado o 11-01-2011 19:01
# Ligazón permanente a este artigo
María Gadu: Shimbalaiê
Valaquí unha canción tan fermosa que non precisa comentarios, soamente a explicación do título que me fixo chegar Solange.

Shimbalaiê é unha palabra africana que significa unión de paz e forzas positivas, un xeito de estar a ben coa natureza.

Por certo, que Maria Gadu é unha das cantoras da última fornada de grandes músicos do Brasil.

Gozade dela:

Shimbalaiê, quando vejo o sol beijando o mar
Shimbalaiê, toda vez que ele vai repousar
Natureza deusa do viver
A beleza pura do nascer
Uma flor brilhando à luz do sol
Pescador entre o mar e o anzol
Pensamento tão livre quanto o céu
Imagino um barco de papel
Indo embora pra não mais voltar
Tendo como guia lemanjá
Shimbalaiê, quando vejo o sol beijando o mar
Shimbalaiê, toda vez que ele vai repousar
Quanto tempo leva pra aprender
Que uma flor tem vida ao nascer
Essa flor brilhando à luz do sol
Pescador entre o mar e o anzol
Shimbalaiê, quando vejo o sol beijando o mar
Shimbalaiê, toda vez que ele vai repousar
Ser capitã desse mundo
Poder rodar sem fronteiras
Viver um ano em segundos
Não achar sonhos besteira
Me encantar com um livro, que fale sobre vaidade
Quando mentir for preciso, poder falar a verdade
Shimbalaiê, quando vejo o sol beijando o mar
Shimbalaiê, toda vez que ele vai repousar


Outra aclaración: Lemanjá é a raiña do mar do candomblé, unha relixión afro-brasileira.

Comentarios (5) - Categoría: Sala de música - Publicado o 14-12-2010 20:18
# Ligazón permanente a este artigo
Milton Nascimento: Coração Brasileiro
Xa vedes.

Toca corrixir exames.

Que se lle vai facer!

Estaba a escoitar esta canción marabillosa de Milton Nascimento e decidín compartila convosco.

Ten unha letra realmente fermosa polo son brasileiro.

É esta:

No meu coração brasileiro, plantei um terreiro, colhi um caminho
Armei arapuca, fui pra tocaia, fui guerrear
Meu coração brasileiro, anda de lado, manca, inclinado
De norte a sul a vida é o rumo que é mais procurado
Quando é de noite a vida silencia abro no peito três olhos pro céu
Nasço da luz de que nasce o dia
Eu sigo manco meu pé tem gabarro, minha crista tem gogo fiz minhafé com tijolo de barro
Mas não regulo minha veia com isso, quando é de noite na vida, eu me esguicho
No vão do espaço de procurar, o coração que for brasileiro
Faço, capina, chumbo a cravina, quero alegria, quero alegrare-e
E-e-e e-e-e e-e-e e-e-e e e-e-e e-e-e e-e-e
A vida fervi na cuia do tempo, quem espera a dor não viaja no vento
Ranguei a hora do chão do momento, nasci de manhá, e o sol veio olhar
Brilhou meu setembro, fiquei no lugar, mais cedo que a vida, fui trabalhar e-




Comentarios (5) - Categoría: Sala de música - Publicado o 29-11-2010 19:32
# Ligazón permanente a este artigo
Marylin Manson: The Nobodies
Xa que está aí ás portas o Día de defuntos permítome achegarvos este vídeo de Marylin Manson, The Nobodies ("Os ninguén").

Today I'm dirty
I want to to be pretty
Tomorrow I know, I'm just dirt
Today I'm dirty
I want to to be pretty
Tomorrow I know, I'm just dirt

We are the nobodies
Wanna be somebodies
We're dead, we know just who we are
We are the nobodies
Wanna be somebodies
We're dead, we know just who we are


(Hoxe estou porco
Quero ser fermoso
Mañá xa sei, son só sucidade...

Somos os ninguén
Queremos ser alguén
Estamos mortos, só sabemos quen somos
Somos os ninguén...
)

A letra non é unha alegría precisamente, non?

Pero vai
ben para esta época do ano tan chea de cemiterios e de flores (e tamén de tristuras e de hipocrisías, como non?)





Comentarios (5) - Categoría: Sala de música - Publicado o 30-10-2010 13:28
# Ligazón permanente a este artigo
Zeca Afonso: Vampiros
A raíz da concesión do premio Otero Pedrayo ao sempiterno Fraga Iribarne quero traervos unha canción do gran Zeca Afonso moi acaída para a ocasión:

Eles comen tudo e non deixam nada!

Achégovos completa a magnífica letra da canción porque non sabería onde cortala:

No céu cinzento sob o astro mudo
Batendo as asas Pela noite calada
Vêm em bandos Com pés veludo
Chupar o sangue Fresco da manada

Se alguém se engana com seu ar sisudo
E lhes franqueia As portas à chegada
Eles comem tudo Eles comem tudo
Eles comem tudo E não deixam nada [Bis]

A toda a parte Chegam os vampiros
Poisam nos prédios Poisam nas calçadas
Trazem no ventre Despojos antigos
Mas nada os prende Às vidas acabadas

São os mordomos Do universo todo
Senhores à força Mandadores sem lei
Enchem as tulhas Bebem vinho novo
Dançam a ronda No pinhal do rei

Eles comem tudo Eles comem tudo
Eles comem tudo E não deixam nada

No chão do medo Tombam os vencidos
Ouvem-se os gritos Na noite abafada
Jazem nos fossos Vítimas dum credo
E não se esgota O sangue da manada

Se alguém se engana Com seu ar sisudo
E lhe franqueia As portas à chegada
Eles comem tudo Eles comem tudo
Eles comem tudo E não deixam nada

Eles comem tudo Eles comem tudo
Eles comem tudo E não deixam nada


Por certo, que o vídeo é do derradeiro concerto do Zeca, en xaneiro do ano 1983 no Coliseu do Porto.

Comentarios (5) - Categoría: Sala de música - Publicado o 21-10-2010 19:23
# Ligazón permanente a este artigo
Paco Ibáñez: La mala reputación
Isto vén a conto do artigo anterior:



Comentarios (5) - Categoría: Sala de música - Publicado o 14-10-2010 22:13
# Ligazón permanente a este artigo
Joan Sutherland: Casta Diva
Morreu a soprano australiana Joan Sutherland, 'La Stupenda', de quen Luciano Pavarotti dixo que tiña "a voz do século".

Propóñovos que escoitemos esa voz nesta aria, Casta Diva, de Norma de Vincenzo Bellini.

Trátase dunha pregaria á lúa e o que Norma leva na man son unhas pólas de visgo que acaba de coller da árbore para facer unha ofrenda:

Casta Diva, che inargenti
queste sacre antiche piante,
a noi volgi il bel sembiante
senza nube e senza vel...
Tempra, o Diva,
tempra tu de? cori ardenti
tempra ancora lo zelo audace,
spargi in terra quella pace
che regnar tu fai nel ciel...


(Casta Deusa, que alumeas
estas antigas e sagradas prantas,
a nós volve a túa fermosa faciana
sen nube e sen veo...
Tempera, ó Deusa,
tempera estes ardentes corazóns
tempera o seu celo audaz,
espalla encol da terra a paz
que no ceo fas reinar...
)

Comentarios (4) - Categoría: Sala de música - Publicado o 11-10-2010 21:38
# Ligazón permanente a este artigo
Beth Carvalho: As Rosas Não Falam
Hoxe en teoría remata este verán tan cheo de sol e de experiencias marabillosas (quizais na práctica siga a meteoroloxía a deixarnos gozar da calor).

Por iso quero que compartamos esta canción de Cartola, o gran compositor brasileiro, interpretada por Beth Carvalho.

Bate outra vez
Com esperanças o meu coração
Pois já vai terminando o verão
Enfim

Volto ao jardim
Com a certeza de que devo chorar
Pois bem sei que não queres voltar
Para mim

Queixo-me às rosas, mas que bobagem
As rosas não falam
Simplesmente as rosas exalam
O perfume que roubam de ti

Devias vir
Para ver os meus olhos tristonhos
E, quem sabe, sonhavas meus sonhos
Por fim


Deica logo, meu querido verán.

Benvido sexas outono outra vez, como non?

Comentarios (6) - Categoría: Sala de música - Publicado o 21-09-2010 20:18
# Ligazón permanente a este artigo
© by Abertal

Warning: Unknown: Your script possibly relies on a session side-effect which existed until PHP 4.2.3. Please be advised that the session extension does not consider global variables as a source of data, unless register_globals is enabled. You can disable this functionality and this warning by setting session.bug_compat_42 or session.bug_compat_warn to off, respectively in Unknown on line 0