Blog do escritor
Xesús Constela

www.xesusconstela.com

info@xesusconstela.com
 CATEGORÍAS
 CUARTO DOS TRASTES
 SALA PARA VISITAS
 SALA DAS PROCURAS
 SALA DOS BLOGS GALEGOS
 NO FAIADO
 ANTERIORES

Zeca Afonso: Vampiros
A raíz da concesión do premio Otero Pedrayo ao sempiterno Fraga Iribarne quero traervos unha canción do gran Zeca Afonso moi acaída para a ocasión:

Eles comen tudo e non deixam nada!

Achégovos completa a magnífica letra da canción porque non sabería onde cortala:

No céu cinzento sob o astro mudo
Batendo as asas Pela noite calada
Vêm em bandos Com pés veludo
Chupar o sangue Fresco da manada

Se alguém se engana com seu ar sisudo
E lhes franqueia As portas à chegada
Eles comem tudo Eles comem tudo
Eles comem tudo E não deixam nada [Bis]

A toda a parte Chegam os vampiros
Poisam nos prédios Poisam nas calçadas
Trazem no ventre Despojos antigos
Mas nada os prende Às vidas acabadas

São os mordomos Do universo todo
Senhores à força Mandadores sem lei
Enchem as tulhas Bebem vinho novo
Dançam a ronda No pinhal do rei

Eles comem tudo Eles comem tudo
Eles comem tudo E não deixam nada

No chão do medo Tombam os vencidos
Ouvem-se os gritos Na noite abafada
Jazem nos fossos Vítimas dum credo
E não se esgota O sangue da manada

Se alguém se engana Com seu ar sisudo
E lhe franqueia As portas à chegada
Eles comem tudo Eles comem tudo
Eles comem tudo E não deixam nada

Eles comem tudo Eles comem tudo
Eles comem tudo E não deixam nada


Por certo, que o vídeo é do derradeiro concerto do Zeca, en xaneiro do ano 1983 no Coliseu do Porto.

Comentarios (5) - Categoría: Sala de música - Publicado o 21-10-2010 19:23
# Ligazón permanente a este artigo
Chuza! Meneame
5 Comentario(s)
1 Comer e beber, niso si que Fraga foi e seguirá sendo un bo galego, ata que o #blgtk08#colesterol aguante, que a estas alturas pobriño, debe de andarlle ao límite!!
Comentario por Eva Lozano (21-10-2010 20:56)
2 E, por todos os lados, estamos rodeados de vampiros e, co#blgtk08#mo bem diz na música, chupando o sangue fresco da manada!
Comentario por Solange Villamar Couto (21-10-2010 21:47)
3 Tal parece que estivera describindo á clase política... A #blgtk08#min gústame crer que así, vampiros, son os menos, pero...
Comentario por Eva Carpente (22-10-2010 16:22)
4 Aquí o conto é sempre o mesmo: Os que comem tudo chegan a algo. E hai que ter coidado con eles. Tanto ten a intelixencia, tanto ten a visión de país, tanto o deseño para unha sociedade futura xust#blgtk08#a e igualitaria. As cousas sempre fican igual. Os vampiros dos que fala a canción campan ao seu antollo, Un pouco son como as perchas do meu relato. Non queda nada para os que non somos coma eles.
Comentario por Xesús Constela (23-10-2010 00:11)
5 Quédome con que Zeca tiña un encanto especial facendo música e unha voz, para min, ben sonora.

O resto vouno deixar, pois sei#blgtk08# que os vampiros zuchasangues acaban convertendo a outras xentes no mesmo que son eles e o conto non acaba nunca...

Un saúdo.
Comentario por A nena do paraugas (24-10-2010 05:39)
Deixa o teu comentario
Nome:
Mail: (Non aparecerá publicado)
URL: (Debe comezar por http://)
Comentario:
© by Abertal

Warning: Unknown: Your script possibly relies on a session side-effect which existed until PHP 4.2.3. Please be advised that the session extension does not consider global variables as a source of data, unless register_globals is enabled. You can disable this functionality and this warning by setting session.bug_compat_42 or session.bug_compat_warn to off, respectively in Unknown on line 0