Avante Galiza!
'Estamos fartos de saber que o povo galego fala un idioma de seu, fillo do latim, irmao do Castellano e pai do Portugués. Idioma apto e axeitado para ser veículo dunha cultura moderna, e co que ainda podemos comunicar-nos com mais de sesenta millóns de almas (...) O Galego é un idioma extenso e útil porque -con pequenas variantes- fala-se no Brasil, en Portugal e nas colónias portuguesas'.

(Castelão - Sempre em Galiza)



Esta web apoia á iniciativa dun dominio galego propio (.gal) en Internet





 SECÇONS
 FOTOGRAFÍAS
 Também ando por:
 PESQUISAR NO BLOGUE
 PESQUISAR EM BLOGUES GALEGOS
 ARQUIVO
 ANTERIORES
 Artigos destacados

Espanha vs. Portugal, ganha Galiza

1º- A plataforma Sei O Que nos Figestes... na sua linha político-humorística, faz um chamamento para ver o partido em Valença do Minho - sim, na localidade onde sucedeu o conto das bandeiras espanholas - portando estreleiras para apoiar a selecçom portuguesa.

2º- A imprensa portuguesa recolhe a notícia.
Rapidamente se estende e em poucas horas os mass média portugueses publicam a informaçom, aparecendo em todos eles o seguinte parágrafo:
'Com cerca de três milhões de habitantes e sendo actualmente um dos principais parceiros comerciais do Norte de Portugal, há anos que vem crescendo o sentimento independentista galego e, noutros casos, de aproximação a Portugal. Um dos movimentos defende a tese de que a língua portuguesa e o galego nunca se separaram realmente, sendo variantes da mesma, num estatuto idêntico ao português do Brasil, como português da Galiza'.

3º- Lisboa lança o alerta, na sua já conhecida linha lusitanista e, anti-galaica e ordena à Guarda Nacional Republicana que active um dispositivo ante a chegada a Valença dos independentistas galegos, na imprensa publicam-se reportagens inçadas de tópicos nos que dizem mesmo que a Estremadura espanhola está mais próxima de Portugal do que a Galiza... com a conhecida e intencionada confusom que fomenta Lisboa de confundir Portugal com a Lusitânia.

4º- Espanha vence Portugal com um golo em posiçom anti-regulamentar.

5º- Sem haver nenhum confronto e num ambiente de total confraternidade entre os galaicos do norte do Minho e os do sul, a imprensa publica 'Galegos "anti-Espanha" foram a Valença para apoiar Portugal'.

6º- A fotografia do dia. Da agência Lusa de notícias.

7º- A nova aparece em todos os mass média ibéricos. Com vídeo incluído:




.

8º- 'Os de sempre' montam folhom. Espanholitos vam a Valença a celebrar a vitória da Espanha ante Portugal, provocam e montam lio. Resultado: três feridos.


CONCLUSOM: Os tugas aprendem quem é o amigo e quem é o inimigo, a aliança madrileno-lisboeta e o seu controle dos mass média nom pode ocultar a realidade. Galaicos somos a norte e sul do Minho, nós somos os irmãos, e os porcos aos que a imprensa lusitana chama de 'nuestros hermanos' no lugar de ir fazer umha visita a torcer pola selecçom lusófona europeia -como fizeram os galegos- vam fazer lio, provocar, insultar.

Os mass média portugueses seguirám a chamar 'nuestros hermanos' aos porcos espanhóis, mas os cidadãos de Valença sabem que os galegos som do seu bando e os espanhóis nom. Agora só fica saber que bandeiras teriam posto nesta altura. Eu acho que seriam igualmente espanholas... por isso de serem galeguinhos coma nós.
Comentários (1) - Secçom: Desportes - Publicado o 30-06-2010 13:21
# Ligaçom permanente a este artigo
Espanha nom sabe o que vale umha vaca

A vaca é o símbolo da paz.

Val máis o que siñifica unha vaca que o que simboliza un león rampante. Xa o dixo un dos nosos economistas: “O albre xenealóxico dunha vaca de leite é máis útil que o albre xenealóxico dun aristócrata”.

A vaca esquenceuse dos cornos e danos o seu traballo, o seu leite, a súa carne, o seu coiro e a carne e o coiro dos seus fillos. Non nos pode dar máis.

O can será o amparo dos ricos, que defende a propiedade do amo e ladra aos pobres que van polos camiños. En troques a vaca é o amparo dos pobres libres.

Os concursos de vacas leiteiras valen máis que os “concursos de Belleza”.

A nosa vaca ten o pesebre en Galiza e os tetos en Madrid. E o que lle dá de comer a unha vaca non ten dereito a muxila.

As “señoritas” que choran pola morte dun can ridículo non comprenden a door dunha familia labrega cando se lle morre unha vaca.

Se non fose polo leite das vacas a piolleira das cidades morrería desnutrida. A vaca é a ama de cría da Humanidade.

O día que nós emitamos papel-moeda non estamparemos nel o retrato dos políticos, nin dos sabios, nin dos artistas; estamparíamos somentes, a figura dunha vaca, como símbolo da nosa economía humanamente distribuida.

O día que Galiza sexa unha comunidade cooperativa ergueremos un gran moimento cunha vaca de bronce dourado.

Tamén hai razas de vacas, e a mellor é a nosa.

O día que seipamos o que val unha vaca, Galiza quedará redimida.

Afonso Daniel Rodrigues Castelão



Nós sim... sabemos o que val umha vaca... umha boa alegria ;)

A imagem foi via berto, na ligaçom de aqui.
Comentários (0) - Secçom: Humor - Publicado o 16-06-2010 22:46
# Ligaçom permanente a este artigo
© by Abertal
"Se aínda somos galegos é por obra e gracia do idioma"
(Castelao)


Apoiamos a Candidatura do Patrimonio Inmaterial Galego-Portugués


Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.