Made in Galiza


Eu nunca serei yo
Um caderno de trabalho de Séchu Sende

A minha obra neste caderno está licenciada baixo creative commons, copiceibe.

O autor solicita comunicar-lhe qualquer uso ou modificaçom da sua obra no email de contacto aqui sinalado.

Contacto
madeingaliza
 CATEGORIAS
 FOTOBLOGOTECA
 OUTROS MUNDOS
 BUSCADOR
 BUSCAR BLOGS GALEGOS
 ARQUIVO
 ANTERIORES

Marias




Comentários (35) - Categoria: Desenhos - Publicado o 15-08-2011 11:29
# Ligazóm permanente a este artigo
I Encontro de Escritor@s da Lusofonia
I Encontro de Escritor@s da Lusofonia. O objectivo era interessante.: "Escritor@s, músic@s, criadore@s… pessoas de diferentes âmbitos da cultura e das artes a reflectir sobre a realidade da lusofonia (tentando fugir dos tópicos), sobre as novas tecnologias e a sua relação com a literatura e as artes em geral, e sobre os movimentos do chamado Altermundo (ecologismo, empreendedorismo, antibelicismo, feminismo, dec...rescimento…) e a relação/situação das artes no mundo contemporâneo."

E a aventura em Monçao, no Palácio da Brejoeira, foi intensa, emocionante e mui formativa, com momentos de verdadeira revelaçom.

Nos três dias de convívio a nossa relaçom com a imaginaçom e a realidade, com o mundo, mudou. Era inevitável.




Os pés de Aline.
Aline Frazao é muito..., Aline é muito mais!



Quando Aline canta
a gente sonha.



Quem nom conheça a literatura de Agualusa já pode ir abrindo qualquer dos seus livros. Eu recomendo o último romance: "Milagrário pessoal", umha viagem na procura das palavras.

Agualusa nom é só um dos grandes escritores da nossa língua no mundo tamém é um dos grandes escritores do mundo em qualquer língua.

Agualusa tamém acredita nisso de que as palavras cámbiam o mundo. Assi que coincidimos. Ademais, mostrou-se mui interessado pola situaçom sociolingüística da Galiza e falou-nos da situaçom lingüística em Angola.




Tony Tcheka, desde a Guiné-Bissau:

POVO ADORMECIDO

Há chuvas
que o meu povo não canta
Há chuvas
que o meu povo não ri

Perdeu a alma
na parede alta do macaréu

Fala calado
e canta magoado
(..)




A Coca de Monçao. Um dragom no caminho.



O autor de Origem certa do farol de Alexandria e outros contos, Guisán Seixas, e o seu sombreiro, olhando um filme na Casa das Artes.




Um desenho com vinho, café e rotulador de Mito Elias, de Cabo Verde, que leva o bicho da poesia dentro mas tamém gosta de compartir. Aqui, um minuto da sua performance no I Encontro de Escritor@s da Lusofonia:







Despois de cinco desenhos, este é o que mais se parece a José Carlos Vasconcelos, que falou oracularmente sobre lusofonias, acordos ortográficos e outras cousas.





Carlos Taibo, um mestre.





Nom se parece muito mas é El:





Países com mar e NH.



Dez palavras dum dos livros que trougemos de Portugal para acompanhar a Estrela: "A imaginaçao nunca é demais. A imaginaçao cámbia o mundo"

Dez desenhos nom podem resumir três dias. Falta muita gente... mas estades tod@s!

E umha recomendaçao que nos fazemos a nós mesmos, porque aínda nom o lemos e tem muitos corvos dentro: A resurreiçao da água, de Maria A. Preto.
Comentários (44) - Categoria: Desenhos - Publicado o 09-08-2011 00:11
# Ligazóm permanente a este artigo
Relatos de Made in Galiza em eslovaco


Chegam novas traduçons de relatos de Made in Galiza polo caminho que vai e vem de Eslováquia!

Da mao de Vlasta Moman e o blog Vlastovicka, já podemos ler em eslovaco a traduçom dos relatos O Home que Agardaba que lle Dixesen o que Tiña que Facer, A Muller que Vivía no Futuro e Instrucciones para Empezar a Hablar Gallego.

Aqui estám as nossas palavras -as tuas, as minhas, as nossas- convertidas em palavras
eslovacas
Comentários (11) - Categoria: Desenhos - Publicado o 07-08-2011 11:22
# Ligazóm permanente a este artigo
Xavi Valles


Mola
Comentários (13) - Categoria: Desenhos - Publicado o 04-08-2011 20:45
# Ligazóm permanente a este artigo
© by Abertal