Made in Galiza


Eu nunca serei yo
Um caderno de trabalho de Séchu Sende

A minha obra neste caderno está licenciada baixo creative commons, copiceibe.

O autor solicita comunicar-lhe qualquer uso ou modificaçom da sua obra no email de contacto aqui sinalado.

Contacto
madeingaliza
 CATEGORIAS
 FOTOBLOGOTECA
 OUTROS MUNDOS
 BUSCADOR
 BUSCAR BLOGS GALEGOS
 ARQUIVO
 ANTERIORES

Made in Galiza em curdo!

Umha alegria emocionante!

A traduçom ao curdo de Made in Galiza foi apressentada o passado 17 de maio, Dia das Letras Galegas, no Kurdistán com o título: Di xewnan de jî ez ê zimanê xwe winda nekim, “Nem em sonhos vou perder a minha língua”

A obra, da que já forom traducidos vários relatos ao bretóm, o checo, o croata, o ruso, o galés, o euskera, o asturiano, o catalám ou o inglés, apressentou-se na Feira do Livro da capital curda Diyarbakir.

O libro foi traducido por 35 persoeir@s kurd@s e publicarom-se tres ediçóns juntas de 1000 exemplares cada umha , marcando assi -segundo a editorial Avesta- um período novo no mercado do livro curdo. Terá um preço de 4 Liras –arredor de 2 euros- que é umha terceira parte do preço habitual para um livro com as mesmas características.

O responsável da Editorial Avesta Abdulhah Keskin di que “O interés dos leitores polo livro será umha enquisa para nós, publicamo-lo tendo em conta os desejos do leitor kurdo. Chamamos aos lectores a que venham e que ponham as suas palavras encima das nossas e desta maneira construamos uma casa de palavras, fagamos um país de palavras desde um lugar sem palavras!”.

Do prólogo da Editorial Avesta:

Umha parte importante da situaçom da língua curda está relacionada com a psicologia. Neste livro podemos ver que este problema nom é só dos curdos, despreciar-se a si mesm@ é umha característica comúm dos povos sometidos. Cremos que este livro pode jogar um papel importante. Para que se lea, figemos importantes innovaçons, com a traduçom, com a ediçom, com o preço, com a presentaçom, com a sua publicidade… representando todos estes factores um concepto novo. Ogalhá que o tenhamos conseguido!

Tradutores do libro

Os contos do livro forom traducidos desde umha versom turca realizada por Irfan Guler com a ajuda de Pepa Baamonde.

Os tradutores ao kurdo som Fahriye Adsay, Mehmet Aktaş, Remezan Alan, Arjen Arî, Hêja Bağdu, Rûken Bağdu Keskin, Ferhad Birûsk, Fewzî Bîlge, Selahattin Bulut, Şukran Çaçan, Silêman Demir, Şerif Derince, Mehmet Dicle, Mûrad Dildar, Receb Dildar, Ismail Dindar, Lorîn S. Doğan, Husên Duzen, Zana Farqînî, Irfan Guler, Gulîzer, Dîlber Hêma, Sacha Ilitch, M. Alî K., Yakup Karademir, Metin Kaygalak, Abdullah Keskin, Songul Keskin Duraker, Mahmûd Lewendî, Hesenê Metê, Ergîn Opengîn, Osman Özçelik, Şivan Perwer, Fatma Savci e Salih Yillik.


Do prólogo do livro para ediçom curda:


Separam-nos mais de 5.000 quilometros, mas entre o Curdistam e a Galiza semelha que há menos dum paso. No mapa separam-nos muitos países, mas é como se fossemos povos vizinhos. Por isso eu hoje digo: Galiza e Curdistám, povos irmaos.

Sinto-me honrado por ter sido convidado ás vossas casas e, como as minhas palavras, sinto-me tamem parte do vosso povo, da vossa naçom, cidadám das vossas cidades, aldeam das vossas aldeias. Sinto-me agradecido por terdes contado comigo para trabalhar, ombro com ombro, na construçom da vossa casa de palavras.

Que os nossos filhos e filhas nos agradeçam ter-lhes aprendido a falar a nossa língua. Que os nossos filhos e filhas nos agradeçam ter-lhes aprendido a escoitar.
Que os nossos nenos e nenas sonhem nas nossas línguas!

E já sabedes, “A vida é melhor em galego”, “Jiyan bi kurdî xweş e”.


...

O prólogo íntegro do livro, no Diário Liberdade
Comentários (11) - Categoria: Geral - Publicado o 18-05-2010 02:01
# Ligazóm permanente a este artigo
Chuza! Meneame
11 Comentário(s)
1 noraboa, séchu! longos horiz#blgtk08#ontes para as túas palabras!
Comentário por edu (18-05-2010 10:29)
2 Noraboa, S#blgtk08#échu!! :-D
Comentário por descalza (20-05-2010 11:46)
3 Enhorabuenan por #blgtk08#las dos culturas.
Comentário por Zinar Ala (20-05-2010 15:59)
4 Parab#blgtk08#éns!
Comentário por Telma Naveira (21-05-2010 01:51)
5 Parabéns Sèchu!
A ver cando te pasas polo instituto.Xa che dixo Rosa o do grafitt#blgtk08#i?Facémolo o 31. E o teu libro, para cando?
Que todo vaia ben!!
Un Saúdo.
Comentário por Nerea (21-05-2010 13:54)
6 um abraço, meus!
Nerea, em quanto o livro#blgtk08# saia do prelo, vamos para as Cruces!
bks
Comentário por madeingaliza (22-05-2010 00:14)
7 cando vais as cruces avis#blgtk08#a q ai q tomarlle un café
Comentário por cesar gzman (02-06-2010 19:28)
8 le style désuet Vieux pour la rénovation. Certains ont #blgtk08#simplement sur mesure nouvelle. Traitement production
Comentário por Moncler Doudoune (30-11-2012 01:24)
9 A obra, da que já forom traducidos vários relatos ao bretóm, o checo, o croata, o ruso, o galés, o eusk#blgtk08#era, o asturiano, o catalám ou o inglés, apressentou-se na Feira do Livro da capital curda Diyarbakir.
Comentário por Repliki zegarków (18-03-2014 10:03)
10 A obra, da que já forom traducidos vários relatos ao bretóm, o checo, o croata, o ruso, o galés, o euskera,#blgtk08# o asturiano, o catalám ou o inglés, apressentou-se na Feira do Livro da capital curda Diyarbakir.
Comentário por http://www.les4-vents.fr (30-11-2015 08:44)
11 traduçom ao curdo de Made in Galiza foi apressentada o passado 17 de maio, Dia das Letras Galegas, no Kurdistá#blgtk08#n com o título: Di xewnan de jî ez ê zimanê xwe winda nekim, “Nem em sonhos vou perder a minha língua”
Comentário por http://www.pataterie-lensoise.fr (22-12-2015 09:35)
Deixa o teu comentário
Nome:
Mail: (Nom aparecerá publicado)
URL: (Debe começar por http://)
Comentário:
© by Abertal