Made in Galiza


Eu nunca serei yo
Um caderno de trabalho de Séchu Sende

A minha obra neste caderno está licenciada baixo creative commons, copiceibe.

O autor solicita comunicar-lhe qualquer uso ou modificaçom da sua obra no email de contacto aqui sinalado.

Contacto
madeingaliza
 CATEGORIAS
 FOTOBLOGOTECA
 OUTROS MUNDOS
 BUSCADOR
 BUSCAR BLOGS GALEGOS
 ARQUIVO
 ANTERIORES

A Loba


A Loba

Levava dez dias sem comer na sua cela.
Era para que falasse.
A mai sabia que os guardas
iam sacar-lhe o pam e a sopa
que levava na bolsinha vermelha
e assi foi.
Espirom-na e registrarom-na
de arriba abaixo
para que nom puidesse passar alimento ningum.
Nem umha farangulha
entre os dentes.
Quando entrou na cela
seu filho já nom era o mesmo.
Nom dixera nem umha palabra
e estavam-no a matar de fame.
Ofereciam-lhe um prato
e perguntavam-lhe Vas falar hoje?
e el calava.
E polo siléncio só lhe deixavam
umha taça de água.
Assi que sua mai colheu-no das maos
e dixo-lhe:
Meu filho, traio de comer.
E fixo como fam as lobas
quando voltam ao tobo despois de caçar
para alimentar a camada.
E volveu faze-lo três dias despois
e seis mais tarde e o sábado seguinte
e a segunda feira despois.
E assi foi como lhe salvou a vida
ao filho
e por isso foi alcumada A Loba.
Por que sabedes como fam as lobas para lhes levar a comida
aos lobato?
Pois se nom sabedes perguntai.
Porque assi foi como aquel home
salvou a sua vida
e muitas mais.
Comentários (0) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 21-02-2008 07:33
# Ligazóm permanente a este artigo
Chuza! Meneame
Deixa o teu comentário
Nome:
Mail: (Nom aparecerá publicado)
URL: (Debe começar por http://)
Comentário:
© by Abertal