Made in Galiza


Eu nunca serei yo
Um caderno de trabalho de Séchu Sende

A minha obra neste caderno está licenciada baixo creative commons, copiceibe.

O autor solicita comunicar-lhe qualquer uso ou modificaçom da sua obra no email de contacto aqui sinalado.

Contacto
madeingaliza
 CATEGORIAS
 FOTOBLOGOTECA
 OUTROS MUNDOS
 BUSCADOR
 BUSCAR BLOGS GALEGOS
 ARQUIVO
 ANTERIORES

Veteran@s de Nunca Mais


Um princípio científico que tem umha alta força poética e social di que A energia nom desaparece, transforma-se. Cinco anos despois já conseguimos aquela certa distáncia que as nossas curiosidade e impaciéncia necessitavam quando nos perguntavamos com muita, muita preocupaçom: Que passará com todo isto no futuro?


Já estamos aqui. E podemos olhar arredor e falar entre nós de cómo o que passou ?o que vivemos desde o 13 de novembro de 2002- forma parte de nós hoje e por suposto, manhá.

Sabemos que a participaçom foi a nossa onda vital. A participaçom da cidadania no movimento social dotou de energia um motor colectivo que, em tempos de crise, botou adiante o carro da socio-criatividade: umha vontade criadora, umha actitude criativa, pensada e realizada em clave social, cooperativa, comunitária, generosa e, como nom podia ser doutra maneira, entre iguais, horizontal.

Contrariamente ao Manual Planetário de Movimentos Sociais, a intromisóm do Interese Electoral ?segundo alguns- ou a Misteriosa Desafecçom Social ?segundo outras- ou as duas cousas ?talvez-, a falta de participaçom, em fim, condenou a própria organizaçom Plataforma Nunca Mais, -olho, dicia o outro, nom confundir com o Movimento Cidadám Nunca Mais- entre outras cousas, á sua situaçom actual, subsidiária da dinámica partidista.

Quando no quinto aniversário o presidente Touriño brinda de policia Muxia para evitar problemas com os centos de manifestantes contrao Plam Acuícola, ou quando o vicepresidente Quintana -com um lema mais próprio da sensíbel tradiçom estilística do Partido Popular ?Galiza no coraçom- organiza umha comida ?que na televisióm se transforma em comilona ou paparota- como homenage ao voluntariado, muita gente da que participou no Movimento Social Nunca Mais está a ser consciente de que em cinco anos, ehem, ehem, realmente nom parece que mudaram muito as cousas?

Ademais, por exemplo, ao tempo que Tourinho e Quintana atraem com o seu magnetismo as cámaras da TVG cara á Zona Cero, em Mugardos o silenciamento mediático do fim do feche de 111 dias dos vezinhos e vezinhas de Mehá contra Reganosa fica nesse siléncio que se vira censura que se volta abuso e despois injustiça que gera a energia que transforma as persoas normais e corrente em activistas.

Activistas! Porque é sabido que segundo a Revista Patafísica Internacional do Activismo Social, @s activistas galeg@s som activistas de élite, respectad@s polos aliados e temid@s polas forças do mal.

Assi que em quanto aquí falamos de Nunca Mais, e actualizamos um discurso, aí fóra da revista, e seguramente aqui, dentro tamém, o que está passando é que hai uns dias se apressentou a Rede Galiza nom se Vende, da que formam parte perto de 100 organizaçons, asociaçons e colectivos ecologicos, sociais e culturais do país, temíbeis células de activistas, enfrontados á política agresiva, violenta e destrutiva que este governo tamém está a ejercer contra os nossos recursos naturais. E seguramente os realistas e as surrealistas coincidam em que aqui tamém se irrádia como o raio transparente a onda vital de Nunca Mais.

Até que ponto chegou realmente o bipartito ao poder graças á poténcia ejercida por este movimento social, -radicalmente ecologista- que se mobilizou, dinamizou e incentivou a participaçom tamém no circo electoral promovendo nom o voto merecido por nengum partido senóm o boto contra o Partido Popular? Até que ponto pode perder esse poder num pulso mais entre o governo e @s activistas? Em que medida se transformara o movimento cidadám no projecto comunicativo Hai que Bota-los? Como metamorfoseou no cooperativo Lumes Nunca Máis?

As estatísticas dim que cada ano se suicidam arredor de 6000 ex-soldados de Irak nos Estados Unidos. E vós, amigas e amigos, veteranos de Nunca Máis, seguides aí? É certo que passastes á reserva? Porque semelha que nom é facil desfazer-se de vós. Aínda que, como dicia ao princípio, hai gente que nom sabe que a energia nom desaparece: transforma-se.

Em fim, como passa o tempo? Assi que cinco anos despois, que?


Revista Tempos Novos, decembro, 2007

Comentários (2) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 27-01-2008 19:57
# Ligazóm permanente a este artigo
Chuza! Meneame
2 Comentário(s)
1 Within PPV system, you need to keep your getting webpages adhere to the actual network's foibles; there isn't any#blgtk08# high quality rating formula you need to cope with since it is actually regarding Search engines Adwords.
Comentário por ppc advertising networks (20-09-2014 09:51)
2 Making immediate connecting as well as getting webpages tend to be each achievable methods, and y#blgtk08#ou ought to check each to determine that technique is most effective for you personally.
Comentário por pop under ads (20-09-2014 09:52)
Deixa o teu comentário
Nome:
Mail: (Nom aparecerá publicado)
URL: (Debe começar por http://)
Comentário:
© by Abertal