Made in Galiza


Eu nunca serei yo
Um caderno de trabalho de Séchu Sende

A minha obra neste caderno está licenciada baixo creative commons, copiceibe.

O autor solicita comunicar-lhe qualquer uso ou modificaçom da sua obra no email de contacto aqui sinalado.

Contacto
madeingaliza
 CATEGORIAS
 FOTOBLOGOTECA
 OUTROS MUNDOS
 BUSCADOR
 BUSCAR BLOGS GALEGOS
 ARQUIVO
 ANTERIORES

Os tiradores das janelas do Palácio de Versalhes


O home a quem, por discreçom, nesta história vamos chamar Lema marchou da Costa da Morte ao exílio em 1938.

Em Paris o seu primeiro trabalho foi de carpinteiro, como aprendera de seu pai em Camarinhas, no carro dos barcos. Ao pouco era pintor numha empresa de construcçom. E ao pouco capataz. Mais tarde, jefe de mantemento numha companhia de reformas e restauraçons.

Especializou-se em fundidos de ornamentaçom antigos e sorria tirando-lhe o tempo ao cobre, ao ferro, ao latóm antigo. E assi foi como Lema chegou ao Palácio de Versalhes em maio de 1941, quando os recem chegados nazis e o governo de Petain decidirom volver-lhe o brilho ao explendoroso Palais de Luis XIV.

Ao galego Lema encargouse-lhe a restauraçom das portas e as janelas, esquilmadas polo tempo e a desídia. O primeiro dia comeu um bocadilho de sardinhas em lata sentado sobre a cama de Luís XIV. Logo deitou-se a durmir a sesta. Quando acordou achegou-se a umha das dezasete janelas que dam ao jardim, logo de mirar-se nos dezasete espelhos da galeria, e passar por baixo dos dezasete arcos. E desde ali olhou o jardim.

Cansou aginha. E dixo algo assi como Venha, hai que trabalhar. E colheu entre os dedos o pesado tirador negro da janela. Estava frio, súcio e desgastado. E os dedos do carpinteiro percorrerom delicadamente coas gemas peritando a qualidade do metal. Seguramente ferro fundido, pensou. Entóm abriu os olhos e a boca debujando um O grande debaixo do seu bigode como nunca ninguém nunca na sua família nunca fixo nem fará outra vez. Respirou forte dezasete vezes.

Aquel tirador era de ouro, como os outros dezaseis tiradores das janelas da galeria do Palácio de Versalhes.

Tardou dezasete dias em fundir na frágua dum colega polaco dezasete réplicas de ferro dos tiradores de Palácio e substitui-nos polos de ouro. Logo, pouco a pouco, aproveitando o seu trabalho noutras reformas, foi instalando com discreçom os tiradores em diversos lugares da cidade de Paris.

O primeiro tirador colocou-no na porta dum prostíbulo da Rue des Plantes.
O segundo tirador, no portal do prédio onde vivia.
O terceiro tirador, numha porta do cemitério de Montparnase
O cuarto tirador, na última portinha do campanário de Notre Dame.
O quinto tirador, num armário da Casa de Galiza.
O sexto tirador, numha libraria de velho em Saint Germain.
O sétimo tirador, na sede do Partido Comunista.
O oitavo tirador, nunha escola infantil.
O noveno tirador, no metro, numha porta de servizo.
O dézimo tirador, nos banhos dum bar da praça du Tertre.
O décimo primeiro, num bateaux do Sena.
E os outros seis noutros sete lugares nos que deviam passar desapercibidos durante moito tempo.

E si, lograrom passar desapercibidos durante vinte anos, repintados por dezasete capas de pintura negra mate até que em 1975 o galego Lema decidiu voltar a Camarinhas.

Foi doado recupera-los. Ninguém lhe deu importáncia a aqueles pequenos roubos.

E quando o home a quem por discreçom chamamos Lema morreu em 1980, os seus dezasete filhos e filhas repartirom-se os dezasete tiradores de ouro das janelas do Palácio de Versalhes.

Umha das suas filhas, a quem por discreçom nesta história vamos chamar Laura, mostrou-me ontem um deles.



Comentários (5) - Categoria: Desenhos - Publicado o 08-08-2007 16:38
# Ligazóm permanente a este artigo
Chuza! Meneame
5 Comentário(s)
1 Grande relato, mui bo, o único un pouco escaso en verosemellanza é que tivese 17 fi#blgtk08#llos. Pasa aí do críbel ao meramente fermoso, ao meu xeito de ver.
Saudiña!!
Comentário por turonio (09-08-2007 12:04)
2 Se nom o cres, é cousa tua...#blgtk08#

He, he, he...
Comentário por madeingaliza (09-08-2007 20:52)
3 http://www.vanspa#blgtk08#scherofficiel.fr
Comentário por http://www.vanspascherofficiel.fr (21-11-2014 09:12)
4 qué axetivos-y cuadren a la palabra mar, a palabra muerte?
Si tenéis que marchar, ¿ye#blgtk08# la palabra adiós un sustantivu?
¿Cómo se pronuncia en diakhanké la palabra exiliu?
Comentário por http://www.bpcatalane.fr (10-12-2014 09:53)
5 Já eram horas de que as bombonas de butano entrassem na liter#blgtk08#atura galega!

Obrigado, Pánchez, pola imagem!
Comentário por http://www.ert-renovation-isolation.fr (07-09-2015 11:20)
Deixa o teu comentário
Nome:
Mail: (Nom aparecerá publicado)
URL: (Debe começar por http://)
Comentário:
© by Abertal