Made in Galiza


Eu nunca serei yo
Um caderno de trabalho de Séchu Sende

A minha obra neste caderno está licenciada baixo creative commons, copiceibe.

O autor solicita comunicar-lhe qualquer uso ou modificaçom da sua obra no email de contacto aqui sinalado.

Contacto
madeingaliza
 CATEGORIAS
 FOTOBLOGOTECA
 OUTROS MUNDOS
 BUSCADOR
 BUSCAR BLOGS GALEGOS
 ARQUIVO
 ANTERIORES

Os ninhos da língua em Nova Zelándia


1. Carlos, se podes, trae-me algo escrito em maori de Nova Zelanda, anda!

2. O nome próprio de Nova Zelandia é Aotearoa, Terra da Grande Nuve Branca. Pois, quando em 1980 os maoris se derom conta de que a sua língua ia de mal em pior acordarom fazer umha grande assembleia. Assi nacerom os Te Kohanga Reo ou ninhos lingüísticos.

Um ninho lingüístico é um programa de inmersom na língua, cultura e valores maoris para os nenos e nenas em idade preescolar.

Estám consideraods como um dos melhores modelos educativos do mundo e som exemplo para muitos lugares que procuram a revitalizaçom da língua própria.

Busca-se desenvolver a língua e a cultura maoris dentro dum ambiente que se identifica com o concepto maori de whanau ou família extensa, que suponho que tem que ver com essa ideia de que a educaçom dum neno ou nena nom é cousa só da sua família senom de toda a comunidade social.

A definiçom dos ninhos lingüísticos que apareceu no New Zealand Official Yearbook em 1993 pom em relevo a importáncia dos valores, actitudes e motivaçons na transmisom da língua: Os nenos e nenas aprenden aroha (amor), manaakitanga (compartir e hospitalidade) whanaroutanga (responsabilidades familiares) e os conhecementos tradicionais, ofícios e costumes, todo por médio do idioma maori.



Poderia-se dicer que os elementos esenciais dos Te Kohamga Reo som:

1.- Deve-se empezar mui cedinho, como num ninho com passarinhos.

2.- O impulso para a revitalizaçom da língua deve vir dos própios maoris e o control inicial dos ninhos lingüísticos deve ser levado adiante pola comunidade.

3.- Implicaçom dos pais e nais, mesmo quem nom sabem falar maori.

4.- @s neozelandeses começarom a reconhecer a língua e cultura maoris como um valor comum e adoptam a sua herdanza cultural como própria.


Hoje hai mais de 700 ninhos em Nova Zelándia.


Informaçom adaptada do Instituto Lingüistico de Invierno, obrigado.

Mais, aqui.

Por certo, o livro Guines reconhece a palavra Taumatawhakatangihangakoauauotamateaturipukakapikimaungahoronukupokaiwhenuakitanatahu, que lhe dá nome a um outeiro, com 92 letras, como o topónimo mais longo do mundo.


3. Umha aperta, Carlos, cabeça abaixo!
Comentários (5) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 31-03-2008 20:42
# Ligazóm permanente a este artigo
A produción social de soños


Cos pés na terra camiña a miña sombra.
Xa sabes,
a realidade supera a fricción.
Din que en Galiza podemos mirar a través da néboa
e que sabemos chamar o arco íris.
Nós fixemo-lo.
Falo contigo, e contigo
e saúdo a quen pase por este verso.
Na fonoteca do futuro gardo os sons dos soños:
as palabras, as exclamacións e o vento.
Era imposíbel imaxinar o que está sucedendo,
dixemos.
Era imposíbel imaxinar isto,
diremos.
Non sei, din que
talvez se cumpra unha parte proporcional dos nosos soños se os soñamos xuntos.
Necesitamos instrucións para soñar ao mesmo tempo,
unha convocatoria para soñar xuntos á mesma hora,
un método para a produción social de soños.
Se fabricamos coitelos en cadea
por que non Liberdade?
É o seguinte paso na evolución da espécie.
E conseguiremo-lo
mirando-nos aos ollos.


....

Um poema de 2002 e 2003

Obrigado, nasas, por recupera-lo!
Comentários (4) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 29-03-2008 09:11
# Ligazóm permanente a este artigo
Deixar falar em sardo



26 de março de 1927

Caríssima Teresina, deves escrever-me longamente sobre os teus. Franco me parece muito vivo e inteligente: acho que já está falando correntemente.

Em que língua fala? Espero que o deixes falar em sardo e não o desgosto quanto a isso. Foi um erro ter proibido que Edméa, quando pequena, falasse livremente sardo. Isso prejudicou a sua formação intelectual, impôs uma camisa de força à sua fantasia.

Não deves cometer o mesmo erro com os teus meninos. Aliás, o sardo não é um dialeto, é uma língua à parte, embora não tenha uma grande literatura, e é bom que as crianças aprendam várias línguas, se for possível.

E depois, o italiano que vocês lhe ensinarem será uma língua pobre, manca, feita só daquelas poucas frases e palavras das conversas com ele, puramente infantil; ele não terá contacto com o ambiente geral e acabará aprendendo dois jargões e nenhuma língua: um jargão italiano para a conversa infantil com vocês e, um jargão sardo, aprendido aos pedaços e bocados, para falar com os outros meninos e com a gente que encontrar pela rua ou na praça.

Eu te recomendo, de coração, que não cometas esse erro e que deixes os teus meninos sugarem todo o sardismo que quiserem e se desenvolvam espontaneamente no ambiente natural em que nasceram; isto não será um empecilho para o futuro deles; ao contrario.


António Gramsci

Mais aqui.
Comentários (4) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 27-03-2008 22:28
# Ligazóm permanente a este artigo
@s nen@ fam o que vem...



Do melhor -com muitissima diferéncia- e único blog de educaçom infantil da aldeia de Soldóm, no Courel, Escola de Soldón tiramos este vídeo que di muito de nós, o homo sapiens, como espécie animal.

Ai, que vida é a dura!
@s meninhos, ás vezes, é que som como animalinhos...

E tu, si, tu, amig@, tu que tes esse costume de nom lhes falar galego aos nenos e nenas..., nom pensaches em cambiar o costume?

Fam o que vem e falam o que escoitam.
Fai que a tua influéncia seja positiva

Fala-lhes galego.

Comentários (6) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 27-03-2008 22:00
# Ligazóm permanente a este artigo
Norteamericanos em Irak


Sem palavras.
Comentários (3) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 26-03-2008 08:30
# Ligazóm permanente a este artigo
Puerto Rico Bilingüe?



O conflito lingüístico entre o espanhol e o inglés. Um pintxo de colonialismo lingüístico...


E aqui vam umhas palavras interessantes:

"Nosotros no rechazamos el inglés pero reafirmamos nuestro español como la parte vital de nuestra identidad y nacionalidad portorriqueña"


Ou, noutras palavras, para extraterrestres:

"Nós nom rexeitamos o espanhol, mas reafirmamos a nossa lingua galega como a parte vital da nossa identidade e nacionalidade galega"




Comentários (1) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 25-03-2008 14:31
# Ligazóm permanente a este artigo
Aturuxando em Boiro


No Local Social Aturuxo, todo um pracer!

E aqui chega umha nova fornada de gente nova preocupada polo social, a dar-lhe voltas tamém, mais umha vez, como sempre, ao tema do Ñ e do NH.

Hai que abrir todas as portas e as janelas para a língua.

E Galiza nom pode intentar implicar no chamado processo de normalizaçom a gente que vive o galego desde a distáncia em quanto nós mesmos, nós mesmas, quem falamos e escrebemos em galego, estamos a impedir que umha parte substancial, dinámica e imprescindível para a vida da nossa língua, @s do NH, sejam integrad@s em igualdade de condiçons neste processo que deve ser comunitário, participativo e integrador.

O processo de normalizaçom da nossa língua nom está legitimado como processo comum, sumativo, se se exclue, de facto, umha parte das persoas mais interessadas e trabalhadoras pola língua.

Nom se pode entender no século da Comunicaçom Social e os projectos sociais participativos, que o processo que poderia cohesionar-nos arredor da língua continue a discriminar um número, qual for, de persoas por questiom ortográfica.

Ou expresado em positivo, que sempre nos leva a ver as cousas doutra maneira: é posível que quando a gente que escrebe com NH na Galiza deixe de estar silenciada polos organismos públicos, a nossa voz comum seja mais alta, mais criativa, tenha mais energia e nos ajude a comprender-nos melhor para seguir adiante pulando junt@s polo bem comum.

O caminho é longo e sempre mais alá.








Comentários (2) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 24-03-2008 20:42
# Ligazóm permanente a este artigo
Mulher Lakota


Um filme sobre o nacemento da conciéncia dumha mulher que descobre o orgulho lakota na luita polos direitos da sua gente. Um bo filme sobre a história do Movimento Indígena Americano (MIA) nos anos 70 e o seu enfrontamento contra o governo dos Estados Unidos em Wounded Knee.

Baseada nos feitos polos que está no cárcere Leonard Peltier, o preso político mais antigo nos USA.

Podes ve-la online aqui, em cine rebelde

Mais sobre os Lakota em A nosa terra esquecida!
Comentários (0) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 01-03-2008 10:33
# Ligazóm permanente a este artigo
O cao de Líster



A história do cao de Enrique Lister é umha dessas anécdotas sobre a Guerra do 36 que falam sobre a natureza do terrorismo fascista. A mim contou-ma Xan Castro um dia em Calo, a umha carreirinha de onde Líster naceu, em Ameneiro.

Pois resulta que o avó de Xan era mestre. E resulta que quando Líster marchou para a Guerra o seu cao acabou na casa do avó de Xan. E assi foi como o cao de Líster ficou na casa do mestre.

Mas quando os fascistas descubrirom que aquel cao era o cao do comunista Enrique Líster, -um dos líderes do Quinto Regimento, encargado despois da defensa dum sector da cidade durante a Batalha de Madrid, ao mando da 1ª Brigada Mixta, e responsábel mais tarde da 11ª Divisom, - pois, digo, quando os fascistas descubrirom quem era o amo do cao, a autoridade decidiu represaliar o mestre e foi depurado e expulsado da docéncia.

Podia ter sido pior.

Porque forom centos e centos os mestres e mestras represaliados polo franquismo, 86 assassinados.

O cao de Líster, se nom recordo mal a história que me contou Xan, foi assassinado.

Temos memória.

......

Mais sobre o canteiro que chegou a xeneral do exército soviético em vieiros.


Na foto, Líster com Ernest Hemingway.
Comentários (2) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 28-02-2008 15:57
# Ligazóm permanente a este artigo
Mimosas


É cousa minha ou estamos a ser invadid@s polas mimosas?

Acabamos de chegar da montanha e desde Compostela, passando polo Deza, pola Ribeira do Minho, por Monforte e mesmo ao pé do Courel, e subindo mesmo entre algum souto, este ano vizarom bem de acácias em flor.

Devemos estar preocupad@s?

Algun/ha biolog@ ou florista na sala?

Comentários (4) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 24-02-2008 19:21
# Ligazóm permanente a este artigo
A Loba


A Loba

Levava dez dias sem comer na sua cela.
Era para que falasse.
A mai sabia que os guardas
iam sacar-lhe o pam e a sopa
que levava na bolsinha vermelha
e assi foi.
Espirom-na e registrarom-na
de arriba abaixo
para que nom puidesse passar alimento ningum.
Nem umha farangulha
entre os dentes.
Quando entrou na cela
seu filho já nom era o mesmo.
Nom dixera nem umha palabra
e estavam-no a matar de fame.
Ofereciam-lhe um prato
e perguntavam-lhe Vas falar hoje?
e el calava.
E polo siléncio só lhe deixavam
umha taça de água.
Assi que sua mai colheu-no das maos
e dixo-lhe:
Meu filho, traio de comer.
E fixo como fam as lobas
quando voltam ao tobo despois de caçar
para alimentar a camada.
E volveu faze-lo três dias despois
e seis mais tarde e o sábado seguinte
e a segunda feira despois.
E assi foi como lhe salvou a vida
ao filho
e por isso foi alcumada A Loba.
Por que sabedes como fam as lobas para lhes levar a comida
aos lobato?
Pois se nom sabedes perguntai.
Porque assi foi como aquel home
salvou a sua vida
e muitas mais.
Comentários (0) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 21-02-2008 07:33
# Ligazóm permanente a este artigo
As mil filhas de Pita voltam!


Recordades aquela grande rachí?

Pois retorna o ridiculismo!

Vivaaaa!
Comentários (0) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 19-02-2008 21:28
# Ligazóm permanente a este artigo
Guia Miguelinho



Umha alternativa ás guías de viagem, na que dar com os lugares mais "engraçados" da Galiza-Norte de Portugal.

D@s criador@s do mundialmente conhecido Mariña Dor, bisbarra de vacas-ciones, com junto outras presenças estelares!!!
Comentários (0) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 19-02-2008 10:22
# Ligazóm permanente a este artigo
GOVERNE QUEM GOVERNE!


GALIZA NOM SE VENDE!

Emocionante.

E potente:

Quedamos só nós, a cidadanía,
o pobo autoorganizado,
para defender unha vez máis esta Terra
de tanta desfeita.
E por iso estamos aquí.
Para amosar que aínda mantemos intacta
a nosa dignidade de pobo
que non quere morrer.
Para denunciar que Galiza
está a ser transformada
nun deserto de monocultivos forestais,
formigón e polución.
Para esixir o cumprimento das leis.
Para defender a paisaxe, a natureza,
a Terra, a nosa identidade
e a nosa forma de vida.
Para converter este domingo nun día radiante
de esperanza para a terra dos nosos pais e nais
e dos nosos fillos e fillas,
para a vida e para o noso ameazado planeta.


Fragmento do manifesto.




As duas fotos da Praça da Quintana venhem de arredemo!. E aqui, mais.

Comentários (9) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 17-02-2008 22:15
# Ligazóm permanente a este artigo
SMS: STOP REPRESIÓN
STOP REPRESIÓN.
A policia detivo un estudante de dereito esta mañá acusado de participar no boicote a María San Gil.
Concentración hoxe ás 20.00 en Cervantes. pásao.


Compostela,
sexta feira, 15 fevereiro.
Comentários (0) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 15-02-2008 17:31
# Ligazóm permanente a este artigo
PUS ULTRA!


Um vídeo espectacular: a gente mais facha e casposa da Galiza fazendo umha homenage surrealista na Corunha: Os 1000 Filh@s de Pita.

Aqui: Pus Ultra

As consignas, por suposto:

La Curuña de dice así!
Los condones son pecado!
Pirigil Español!
El matrimonio, por la iglesia!
Francisco Vázquez, patriota español!
Españoles somos, españoles seremos, y por gallegos nunca pasaremos!
La masturbación produce ceguera!
Al bote, al bote, galleguista el que no bote!




O humor é-che o que tem!
O surrealismo é revolucionário.

Traído de chuza

Comentários (0) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 14-02-2008 12:00
# Ligazóm permanente a este artigo
SAN GIL EM COMPOSTELA


1. Chegada ao edifício.



2. Saída do edifício.

Em vista que a informaçom e as opinións que estou a ler na prensa, a escoitar na rádio e a ver na tele é muito repetitiva e sem matices, fomos á rede e atopamos estas outras versons audiovisuais e escritas dos feitos.

Porque, como dicia Calvet, a realidade nom é como é senom como se conta.



Comunicado de AGIR fronte as ameaças da decana Cancelo

A Decana ameaça

Nom só correios e chamadas telefónicas de ousados anónimos estám a ameaçar a nossa organizaçom e a sua miltáncia. A Decana da faculdade de Económicas, que mesmo recriminou Senén Barro por nom ter permitido a entrada dos antidistúrbios na Faculdade, está a atirar gasolina ao lume acendido polos media.


Esta manhá, as novidades acerca do boicote à fascista Maria San Gil remitiam direitamente à elaboraçom dum expediente onde Cancelo, insigne defensora do "golpe y porrazo" e amiga da policializaçom dos centros de ensino, pretende documentar todas as pessoas implicadas nos feitos (entende-se, unicamente os e as estudantes), para solicitar a sua expulsom. Aponta alto.

Reclamará, ainda, a perseguiçom por parte da USC da nossa organizaçom, para "ilegalizar-nos" ao nível institucional desta Universidade. Toda umha moda à espanhola.

Embora o pretenso informe nom tenha sido redigido, nem facto algum de agressom estudantil constatado, nem, de resto, a actuaçom ilegal de AGIR de jeito qualquer, a Decana arde após o rotundo fracasso dumha palestra, a de onte, à qual assistírom menos pessoas das que a respondêrom com rechaço. O fracasso em plena campanha eleitoral desta fascista metida a professora tem posto o Decanato desta Faculdade em autêntico ridículo.

Fanatismo anti-AGIR

Perante esta saída de tom de Cancelo, AGIR quer manifestar que:


1. Reiteramos que nom convocamos acto algum. Que se aporte prova documental em contra desta afirmaçom se alguém tem acesso a algumha convocatória realizada em nome da organizaçom estudantil da esquerda independentista.


2. A participaçom no acto de protesto (que segundo alguns meios superou o meio cento enquanto que outros falam de duas dúzias) superou a trintena de pessoas, todas/os eles/as estudantes da USC, agás excepçons que desconhecemos. A presença de jovens adscritos/as ou nom a outras entidas políticas, partidárias, ou organizativas de qualquer tipo, é um facto que todos os meios ocultam: onte estivo presente o estudantado da esquerda nacional em bloco, nom AGIR em exclusiva, nem muito menos.

Engana-se portanto a Decana ao ligar indistintamente o estudantado partícipe e AGIR. Se está por abrir expedientes, vai-se encontrar com 30 e pico jovens de diversas tendências e sensibildiades.

3. Engana-se também a Decana se pretende que qualquer medida contra AGIR a nível institucional nos vaia frear. AGIR JÁ TEM MEDIDAS EXCEPCIONAIS APLICADAS SEM CADUCIDADE POLO GOVERNO DA USC. APENAS TEMOS ESPAÇO FÍSICO ONDE CONSERVAR O NOSSO MATERIAL E NOM RECEBEMOS NENGUM SUBSÍDIO INSTITUCIONAL.


4. Engana-se, ainda, a Decana repressora e todo o que quiger pensar como ela, quanto aos possíveis expedientes: AGIR SOLICITA AOS MEIOS QUE FALAM DE AGRESSONS, À DECANA QUE FALA DE EXPEDIENTES, etcétera... QUE NOS DEM UMHA SÓ PROVA VISUAL QUE ACREDITE QUE ALGUM ESTUDANTE BATEU EM MARIA SAN GIL OU ALGUM DOS SEUS MACACOS. Nós falamos claro; nom temos nada a agochar.


5. SOLICITAMOS À DECANA QUE INCLUA NO EXPEDIENTE DE QUE FALA A INTRODUÇOM DE ARMAS NOM REGULAMENTÁRIAS NUM ESPAÇO ONDE, PARA MAIS "IRONIA", ESTA PROIBIDO INTRODUZIR QUALQUER ARMA. Falamos da "PORRA EXTENSÍVEL" EMPREGUE POR UM DOS GORILAS DE SAN GIL PARA AGREDIR-NOS, ATÉ O PONTO QUE RACHOU COM ELA. ESTÁ A DECANA AO TANTO DISTO? PREOCUPA-LHE ESTE FEITO? Esperamos umha resposta.


6. AGIR já sofreu umha expulsom dum militante, na época da LOU, da USC. Nem esse facto paralisou a nossa actividade, nem qualquer medida sancionadora impedirá que a força do estudantado de esquerdas e independentista que se organiza se paralise. AGIR ESTÁ NA USC PARA FICAR NELA, nom o esqueçam.


A notícia e o debate em Galiza.indymedia.org

Em galizalivre.org

Em chuza.org
Comentários (1) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 14-02-2008 00:05
# Ligazóm permanente a este artigo
Invasion!


Invasion of the Body Snatchers. 1956,
A invasión dos ladróns de corpos!

Nom fiques durmido, ou te invadirám!

Durante anos confundim o filme com um sonho.

O livro, de Jack Finney, alucinante!!

Lástima nom te-lo mais de mao na nossa língua.


Aqui tes umha traduçom.
Comentários (2) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 12-02-2008 15:47
# Ligazóm permanente a este artigo
Vídeo: Gz Nom Se Vende!


Como dicia a outra, umha mani sem ánimo de lucro!

E ti, por que ves á mani?

Eu, por cousas assi...
Comentários (4) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 12-02-2008 01:33
# Ligazóm permanente a este artigo
ENOLA GAY


Enola Gay, você deveria ter ficado em casa ontem
Palavras não podem descrever o sentimento e o jeito que você mentiu

Seus jogos serão mais que sofrimento em algum dia
Enola Gay, você nunca deveria ter terminado deste jeito

São 8:15 e é a hora que sempre foi
Recebemos sua mensagem pelo rádio, as condições estão normais e você está voltando prá casa

Enola Gay, hoje, a mãe orgulhosa do garotinho
O beijo que você dá, nunca vai embora

São 8:15 e é a hora que sempre foi
Recebemos sua mensagem pelo rádio, as condições estão normais e você está voltando prá casa

Enola Gay, hoje, a mãe orgulhosa do garotinho
O beijo que você dá, nunca vai embora.


.......

Comentários (0) - Categoria: Nom serviam - Publicado o 11-02-2008 09:06
# Ligazóm permanente a este artigo
© by Abertal