Palabras de Pedra


O blogue, cultural e divertido de Palabras de Pedra / Proxecto Mámoas do IES Marco do Camballón de Vila de Cruces Este proxecto foi recoñecido cun Premio á Innovación no Fomento da Lingua

O meu perfil
 CATEGORÍAS
 RECOMENDADOS
 BUSCADOR
 BUSCAR BLOGS GALEGOS
 ARQUIVO
 ANTERIORES

Eva Seda: "As mulheres praticam menos deporte porque vivimos numha sociedade machista"


Esta entrevista forma parte do Projeto FIFA: "A nossa língua é internacional", umha atividade para conhecer a dimensiom internacional do nosso idioma e no que trabalhamos com dous temas centrais: língua e deporte feminino.

Eva Seda é professora no IES Marco do Cambalhom de Vila de Cruzes e treinadora do "Club de Balonmán Lalín". É umha deportista nata e nesta entrevista fala-nos da sua experiência como mulher deportista e neofalante. Porque Eva chegou de Andalucia e ao pouco já começou a falar a nossa língua. Hoje é colaboradora do Clube da Língua e umha persoa comprometida com a defensa e promoçom do nosso idioma.

Clube da Língua: Eva, tes praticado muitos deportes: sky, rubgy, squash... Como vivem as mulheres a prática deportiva, nalgum momento sentiche algum tipo de discrminaçom ou desvalorizaçom? Tenhem os homes mais facilidades para praticar deporte, seja profesional ou amador?

Eva: Destas cousas é bom falar, e eu levo luitando contra o machismo desde sempre. Já em Algeciras, onde tivem umha educaçom machista, comecei a dar-me conta de que as cousas devem mudar. Hoje esta-se dando um repunte machista na sociedade. Eu creo que há algo positivo, umha evoluçom de cara à igualdade nalguns ámbitos, pero que nom é geral. Hoje, por exemplo, na piscina, um neno estivo a jogar com o avo pero quem o cambiou nos vestiários foi a avoa.

Um 99% das persoas que mudam aos rapazes e rapazas nos vestiários som mulheres... Levo vendo isto toda a vida.

Ha deportes que se consideram topicamente femininos, e que tenhem quase o 100% nenas, dança ou ballet... Em balonmao tenho que fazer muitos esforços para que as nais e os pais traiam as nenas para jogar porque é um deporte associado aos homes.

É difícil que as nenas se apuntem aos deportes coletivos e muitas vezes isto é causado por prejuíços que transmitem os adultos. Vam mais a dança ou ballet, por inércia, que a baloncesto ou balonmao..

E claro, as nenas, se os conhecem, tamém gostam destes deportes coletivos, gostam do balonmao, por exemplo. Eu figem rugby e futebol e qualquer mulher pode jogar a estes deportes.


C.L: E como adestradora? Sentes nalgum momento algum trato diferente polo feito de ser mulher?

Eva: Como treinadora de balonmao noto, por exemplo, que os árbitros aguantam mais a um treinador prostestando que a umha mulher. Tardam muito menos em sacar-lhe a tarxeta a umha treinadora mulher que a um home. A nós sancionam-nos á primeira de cámbio.

Nos adestramentos tenho visto adestradoras em categorias inferiores, pero é mais dificil ve-las nas categorias superiores. E há mulheres melhor formadas, com melhor titulaçom que muitos homes, que nom som tam bem aceptadas no mundo da competiçom, como adestradoras, por exemplo.

Nos últimos tempos melhorou muito a situaçom das árbitras. Antes havia mais agresions verbais, e à mínima já eram insultadas: "Zorra, puta" etc. Hoje mudou um pouco o conto. Sucede, si, continuam a ser insultadas de forma machista, pero menos.

O outro dia, por exemplo, escuitei um comentário ao começo dum partido: Ui, empezamos bem, duas mulheres como árbitras. E despois passarom a insultos como Dedica-te a fregar pratos! E quem dizia isto era umha mulher!

Clube da Língua: Tes duas filhas. Pensas que é importante transmitir-lhes às tuas filhas valores relacionados com isto do que acabamos de falar?

Eva: A nivel persoal, tenho um companheiro que se corresponsabiliza da educaçom das nossas filhas. Isso permite-nos praticar deporte aos dous. Para muitos homes, colegas e machistas, o meu companheiro é um calçonazos, para as mulheres, um modelo.

Aqui temos um grave problema: as mulheres ocupam-se primeiro do ámbito doméstico e logo, se podem fazer algo... doutras cousas. As mulheres podem praticar menos deporte porque se responsabilizam de forma prioritária do doméstico, da casa. As mulheres praticamos menos deporte porque a nossa sociedade é machista. E isto é injusto.

Outro exemplo, escandaloso: em Vila de Cruzes, quando pergunto quem fai deporte no seu tempo livre, resulta que o 90 por cento dos rapazes fam deporte. O 90 % das rapazas nom fam nada de deporte, e isto sucede sobre todo a partir de terceiro da ESO.

As nenas que practicam deporte desde pequenas, desde nenas, quando chegam à adolescencia querem seguir fazendo-o. E isto sucede porque se lhe da menos importáncia à prática do deporte, -socialmente, nas famílias, em muitos ámbitos-, polo feito de serem rapazas.

Um exemplo dessa tendéncia: os deportes historicamente vistos como masculinos som os que mais estám na tv, onde ver deporte feminino é raríssimo.


C.L.: Eva, tu es neofalante, começache a falar galego ao pouco de chegar de Andalucia. Como forom aqueles primeiros tempos como "neofalante" da nossa língua? Quais forom as tuas motivaçons? Tes algumha anédota que contar?

Eu sempre gosteiu dos idiomas e ao chegar aqui e ver que se falava galego entendim que para vivir aqui eu devia aprender o galego. Ajudarom-me muito. Os rapazes e rapazas riam-se ao princípio, pero gostavam de que alguém de fora aprendesse e falasse a sua língua. O alunado ajudou-me muito. Tamém houvo gente adulta que mo complicou e mesmo me recriminou falar em galego sendo de fora, mesmo à cara. Agora estou mui contenta comigo mesma.


Comentarios (10) - Categoría: Actualidade - Publicado o 30-11-2015 22:11
# Ligazón permanente a este artigo
Chuza! Meneame
10 Comentario(s)
1 Eva Seda é professora no IES Marco do Cambalhom de Vila de Cruzes e treinadora do "Club de Balonmán Lalín". É umha deportista nata e nesta entrevi#blgtk08#sta fala-nos da sua experiência como mulher deportista e neofalante. Porque Eva chegou de Andalucia e ao pouco já começou a falar a nossa língua.
Comentario por http://www.pataterie-lensoise.fr (10-12-2015 08:31)
2 Nós, nos menus de configuraçã#blgtk08#o, escolhemos OPÇÃO PORTUGUÊS
Comentario por http://www.bloodsnow.fr (19-12-2015 04:20)
3 Porque Eva chegou de Andalucia e ao po#blgtk08#uco já começou a falar a nossa língua.
Comentario por victoria secret uk (21-12-2015 08:50)
4 E son moitos os libros e exposicións a niv#blgtk08#el mundial que se interesan por este tema.
Comentario por http://www.solinea.fr (08-03-2016 03:35)
5 Tattoos da Galiza#blgtk08#: 2º convocatória!
Comentario por http://www.usbedeeb.fr (15-03-2016 03:14)
6 Este concurso non ten como fin#blgtk08#alidade que a xente se tatúe.
Comentario por http://www.r-e-v-i.fr (02-04-2016 05:13)
7 E gracinhas a Elba, papparacci!E#blgtk08# gracinhas a Ángel, polo trator!
Comentario por http://www.top-vols.fr (14-04-2016 05:48)
8 Outro objetivo é promover valores de igualdade e um processo de reflxiom para a educaçom #blgtk08#nom sexista, criticando as dinámicas que cousificam as mulheres no mundo da moda.
Comentario por http://www.julie-grenier.fr (02-06-2016 10:55)
9 Desde hai varias décadas a tatuaxe g#blgtk08#añou sona como expresión artística.
Comentario por http://www.s-team-nettoyage.fr (02-08-2016 03:14)
10 s - Palabras#blgtk08# de Pedra.
Comentario por victoria secret uk (13-08-2016 03:38)
Deixa o teu comentario
Nome:
Mail: (Non aparecerá publicado)
URL: (Debe comezar por http://)
Comentario:
© by Abertal
contador grátis